LATAM AIRLINES VAI INCORPORAR DEZ A320 QUE ESTAVAM NA FROTA DA AVIANCA

Por Alexandre Melo

A Latam Airlines Group vai incorporar dez aeronaves Airbus A320-200 que estavam na frota da Avianca Brasil e são de propriedade da Aircastle, empresa de arrendamento de aeronaves sediada nos Estados Unidos.

No relatório de resultado divulgado nesta semana, a americana informou que estes aviões foram recuperados no começo de abril da companhia aérea brasileira, em recuperação judicial desde dezembro de 2018. A previsão da empresa é que parte deles volte a voar até junho.

A Latam afirmou em nota que as negociações com a Aircastle estavam acontecendo desde o início do ano. “As aeronaves vão operar nos mercados domésticos, principalmente no Brasil, considerando a eventual aquisição dos ativos [da Avianca] pela Latam Airlines Brasil”.

No leilão das sete unidades produtivas isoladas (UPIs) da Avianca, a Latam manifestou interesse pelo lote B, com slots (direitos de pousos e decolagens) em Guarulhos (26), Santos Dumont (oito) e Congonhas (13). O certame acontecerá no dia 7 de maio.

Segundo a Latam, algumas destas aeronaves estão no centro de manutenção que está localizado em São Carlos, no interior paulista.

A maior parte dos arrendamentos contratados pela Avianca Brasil era de curto prazo, pelo período de um ou dois anos, afirmou Michael Inglese, presidente da Aircastle, em teleconferência com analistas sobre os resultados financeiros do primeiro trimestre deste ano.

Aircastle

No primeiro trimestre deste ano, a empresa de arrendamento tinha 259 aeronaves na frota. A taxa de utilização no período, de 94% ante a média de 99% dos últimos cinco anos, foi impactada pela Avianca Brasil e Jet Airways, indiana que anunciou a paralisação total em abril.

“Esperamos que todas as aeronaves que estavam alugadas para Avianca e Jet Airways iniciem o retorno ao serviço até o terceiro trimestre. Dos 12 aviões em solo no fim do primeiro trimestre, dez eram os A320 que estavam com a Avianca”, disse Inglese.

De acordo com Aaron Dahlke, diretor financeiro da Aircastle, apesar da inadimplência das duas companhias aéreas, foi possível obter crescimento na receita e manter a lucratividade nos três primeiros meses de 2019.

O lucro líquido do trimestre foi de US$ 34,810 milhões, queda de 39,5% em relação ao mesmo intervalo do ano passado. A receita líquida da empresa aumentou 1,5%, na mesma base de comparação, alcançando US$ 189,677 milhões.

De janeiro a março deste ano, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Aircastle totalizou US$ 199,347 milhões, crescimento de 4,3% ante igual período de 2018.

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *