CREDORES APROVAM PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA NUTRILATINA

Por Cibelle Bouças

A fabricante de suplementos Nutrilatina, de Curitiba, conseguiu aprovar seu plano de recuperação com os credores em assembleia realizada na segunda-feira na capital paranaense. A dívida contemplada no plano de recuperação judicial é de R$ 48 milhões.

Quando entrou com o pedido de recuperação judicial, em abril de 2018, a companhia relatou uma dívida total de R$ 110 milhões, sendo R$ 25 milhões de débitos com bancos, R$ 495 mil com funcionários e pouco mais de R$ 6 milhões com fornecedores.

Ficaram fora do plano dívidas tributárias, de aproximadamente R$ 50 milhões, e dívidas com credores diversos.

Marcello Lauer, sócio da Grand Hill Consulting, responsável pelo plano e pela negociação com credores, disse que a proposta foi estruturada para permitir que a companhia continue operando.

Pelo acordo fechado com os credores, a companhia vai vender propriedades que possui e ativos industriais em um leilão, ainda sem data definida. A estimativa de Lauer é que o leilão seja realizado no prazo de 180 dias.

A Nutrilatina possui terrenos no Paraná, além da área onde está a sua fábrica, em Curitiba. “Avaliações validadas por empresas independentes indicaram que os ativos da Nutrilatina somam R$ 25 milhões”, disse Lauer.

O valor obtido com a venda dos ativos será usado primeiramente para pagar aos credores trabalhistas, que receberão 100% do crédito sem deságio. O saldo será distribuído entre instituições financeiras credoras e fornecedores, que aceitaram receber os créditos com deságio de 70%.

Após vender a fábrica, a companhia vai fabricar seus suplementos com uma empresa terceirizada. “Com as vendas dos produtos, a companhia espera obter o restante dos valores para sanar as dívidas”, disse Lauer.

A Nutrilatina foi criada há 30 anos e é controlada por Idemar Antonio Froldi Júnior, filho do fundador da empresa, Idemar Froldi. A empresa é dona da marcas como Diet Shake, AGE Superior, Mega Mass e Rennovee. Em seu auge, em 2010, chegou a faturar R$ 200 milhões por ano, mas em 2018 a receita estava na casa de R$ 50 milhões.

A Nutrilatina foi assessorada desde novembro de 2018 pelos escritórios Grand Hill Consulting e Farracha de Castro Advogados.

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *