Americanas publica lista de credores incluídos no plano de recuperação judicial; confira

Relação contém cerca de 10 mil credores e foi entregue ao TJRJ; na semana passada, investigação interna da companhia concluiu que antiga diretoria tinha conhecimento da fraude contábil

A Americanas divulgou nesta segunda-feira (19), em comunicado aos investidores, um edital com a relação de credores do plano de recuperação judicial da companhia e de suas subsidiárias.

O documento faz parte da confirmação da entrega do plano de recuperação judicial do Grupo Americanas.

Este edital confirma ainda a entrega do plano de recuperação judicial, apresentado pelo administrador judicial, à 4ª Vara Empresarial da Comarca do Estado do Rio de Janeiro no dia 20 de março de 2023.

De acordo com a publicação, a companhia informa que, a partir desta segunda-feira, terão início os prazos legais de 10 dias para apresentação, ao Juízo da Recuperação Judicial, de impugnações à Relação de Credores, e 30 dias para o oferecimento de objeções ao Plano de Recuperação Judicial.

Entenda o caso

A Americanas entrou em recuperação judicial após revelar no início deste ano inconsistências contábeis da ordem de R$ 20 bilhões.

Em fevereiro deste ano, a empresa havia divulgado uma atualização de sua lista de credores, na qual elevou o valor de sua dívida de R$ 41,2 bilhões para R$ 42,5 bilhões.

A varejista chegou a revisar o número total de credores, que saiu de cerca de 7.720, sem contabilizar os extraconcursais, para ao redor de 9.460.

Em abril, a companhia anunciou que a mais recente proposta de acordo com credores financeiros incluiu possibilidade de dois eventuais aumentos de capital de até R$ 1 bilhão cada, para além dos R$ 10 bilhões já propostos, segundo fato relevante.

Os recursos seriam aportados pelos chamados “acionistas de referência”, o trio de bilionários formado por Jorge Paulo Lemann, Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira.

Vale lembrar que o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) já havia determinado a quebra de sigilo dos processos relativos às Lojas Americanas. A decisão do juiz Paulo Assed Estefan permitiu que credores e pessoas que tenham interesse acessem os processos.

Além da quebra de sigilo, o magistrado determinou que a Justiça cadastre todos os advogados habilitados pelos credores das Lojas Americanas. A medida permite que os advogados sejam intimados e acompanhem as decisões proferidas nos autos dos processos.

Fraude

Investigação interna conduzida pela Americanas aponta que a antiga diretoria tinha conhecimento da fraude contábil ocorrida na empresa. A informação consta de fato relevante divulgado na manhã desta terça-feira (13).

O documento diz que “o relatório apresentado pelos assessores foi baseado em documentos entregues pelo comitê de investigação independente e por documentos complementares identificados pela administração e seus após as reuniões com o comitê” e que eles “indicam que as demonstrações financeiras da companhia vinham sendo fraudadas pela diretoria anterior”.

O fato relevante afirma, ainda, que “os documentos que deram origem ao relatório demonstram os esforços da diretoria anterior das Americanas para ocultar do Conselho de Administração e do mercado em geral a real situação de resultado e patrimonial da companhia”.

A publicação descreve quais foram essas operações:

— Operações de financiamento de compras (risco sacado, forfait ou confirming) de R$ 18,4 bilhões, em números preliminares e não auditados;
— Operações de financiamento de capital de giro de R$ 2,2 bilhões, em números preliminares e não auditados.

Confira a lista completa dos credores.

Fonte: CNN Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *