Por Cleyton Vilarino | São Paulo

SÃO PAULO – Com seu pedido de recuperação judicial aprovado no dia 26 de janeiro, a Pomi Frutas, com sede em Fraiburgo (SC), tem dívidas que somam cerca de R$ 30 milhões, apurou o Valor. Desse montante, entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões são passivos trabalhistas.

O maior credor da Pomi Frutas é o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), com o qual a empresa de maçãs já vinha negociando formas de liquidar suas dívidas. Com a recuperação judicial aprovada, o BRDE fica impedido de protestar ou liquidar a Pomi Frutas em juízo.

O plano de recuperação ainda não foi elaborado, mas deverá envolver venda de ativos. No terceiro trimestre de 2017, a Pomi Frutas registrou prejuízo líquido de R$ 10,403 milhões, ante perdas de R$ 4,409 milhões no mesmo trimestre de 2016.

Fonte: Valor Econômico